O que fazer em caso de terremoto? (parte 2)

O Chile é um dos países mais sísmicos do mundo. Se pretende morar ou passear por aqui, precisa conhecer as recomendações básicas dos órgãos de segurança para enfrentar essa ocorrência (não previsível) com precaução.

É importante esclarecer que, com muita frequência, há tremores no país, mas apenas os sismos de alta intensidade são considerados terremotos. Um terremoto tem diferentes intensidades e pode se mover no sentido vertical, horizontal ou ter movimentos ondulantes. Pode aumentar de forma progressiva, indo de um tremor leve até um em que não é possível se manter em pé.

Veja também o post Terremotos no Chile: quem vive ou passeia em país sísmico precisa se informar.

As informações abaixo são da Oficina Nacional de Emergencia del Ministerio del Interior y Seguridad Pública (ONEMI).

Recomendações de segurança para terremotos

Antes

  1. Identificar se os locais de permanência (residência, trabalho, escola, hospedagem) são de material resistente a terremotos. Se forem construídos com adobe ou materiais informais, deve evacuar imediatamente em caso de terremoto.
  2. Identificar os locais de proteção sísmica, longe de vidros e objetos que possam cair, como lustres, ar condicionado, móveis.
  3. Identificar válvulas de gás e água e o painel de eletricidade e aprender como fechar ou desligar.

Durante

  1. Fique calmo (não vai ser fácil) e vá ao local de proteção identificado anteriormente.
  2. Se possível, fique embaixo de um objeto sólido ou próximo a ele.
  3. Se usar cadeira de rodas, tente ir a um local de proteção. Se não for possível, acione o freio e proteja cabeça e pescoço com os braços.
  4. Se estiver na rua, fique longe de postes, cabos e prédios.
  5. Se estiver em local de multidão, proteja cabeça e pescoço com os braços e siga as orientações da segurança local.
  6. Se estiver dirigindo na cidade, reduza a velocidade e pare em local de segurança. Se estiver em estrada urbana, reduza a velocidade, mas não pare. Atente aos demais motoristas, sinalize e use a saída mais próxima. Se for uma estrada rural, use o acostamento.

Depois

  1. Desligue gás, água e eletricidade.
  2. Se estiver em área costeira e tiver dificuldade de permanecer em pé durante o terremoto, imediatamente após, vá aos pontos mais altos identificados como zonas de segurança a tsunamis.
  3. Se estiver escuro use lanterna. Nunca use velas, fósforos ou isqueiros, para evitar explosões em caso de fuga de gás.
  4. Informe a família por mensagem de texto e use eletrônicos portáteis à pilha para saber as notícias.
  5. Se estiver preso dentro de algum lugar, peça ajuda e aguarde.
  6. Se estiver preso em escombros, proteja o nariz e a boca e evite gritar. Faça barulho batendo algum objeto pesado na estrutura.

Itens do kit de emergência a terremotos

Para os residentes no Chile é importante providenciar um kit de emergência e deixá-lo em um lugar de fácil acesso. No caso de turistas, se for se hospedar em casa ou apartamento, também é recomendável ter o básico à mão. Precaução nunca é demais.

  • Água mineral
  • Alimentos enlatados e desidratados e barras de cereal
  • Abridor de latas
  • Lanternas e baterias
  • Apito
  • Rádio portátil com baterias de reserva
  • Estojo de primeiros socorros
  • Remédios de uso frequente
  • Óculos de reserva
  • Dinheiro em espécie
  • Chaves de reserva da casa e do carro
  • Cópia de documentos
  • Cópia do plano de emergência (veja mais abaixo)

Para os mais precavidos, ainda há a opção de agregar itens como uma troca de roupas, produtos de higiene, sacola plástica e papel higiênico, entre outros. E para quem tem automóvel é aconselhável ter em seu interior um kit de emergência com os itens principais.

Plano de emergência para proteção familiar

Além dessas recomendações, a ONEMI tem um guia de proteção familiar com 8 passos visando orientar a criação de um plano de emergência.

1. Reunir e documentar informações relevantes sobre os membros da família

Anotar nomes, idades, parentesco, se têm dificuldade de locomoção, se necessitam de medicamentos ou equipamentos especiais, tipos sanguíneos, números de documentos e de contatos.

2. Identificar possíveis ameaças dentro e fora da residência e possíveis soluções

Verificar o tipo de construção, onde armazenam materiais perigosos ou inflamáveis, estado de instalações elétricas. Se mora em edifício verificar a iluminação das escadas, saídas de emergência, etc. No entorno, se informar sobre exposição a sismos, tsunamis, desabamentos, erupções vulcânicas.

3. Definir as zonas de segurança

Ter claro quais as áreas da residência protegidas de vidros e queda de objetos e quais as rotas de evacuação do entorno.

4. Fazer um mapa da residência

Desenhar de forma simples os cômodos da casa assinalando onde estão as áreas de segurança, as chaves de água, gás e luz, extintores, kit de segurança. Deixar à vista de todos.

5. Definir responsabilidades

Indicar quem pega o kit de segurança, quem fecha as chaves de gás, água e luz, quem se encarrega dos animais de estimação, quem ajuda a pessoa com dificuldade de locomoção, entre outros, a depender das especificidades de cada família.

6. Elaborar uma lista de contatos de emergência

Anotar número de órgãos oficiais e de familiares e amigos que possam ajudar na ocorrência de uma emergência.

7. Montar um kit de emergência

Deixar em local de fácil acesso, provisionar para 72h, considerar necessidades específicas da família, verificar constantemente se os itens estão em bom estado.

8. Praticar o plano de emergência

Assegurar que toda a família sabe como proceder durante a situação, principalmente as crianças.

Pontos de apoio para brasileiros

Em caso de terremotos, tsunamis ou outras catástrofes naturais, os cidadãos brasileiros poderão contatar instituições indicadas pelo Consulado Geral em Santiago ou os Consulados Honorários em Calama, Iquique, Punta Arenas, Temuco e Valparaíso.

Links úteis para mais detalhes

  1. Recomendações em caso de terremoto  – espanhol
  2. Recomendações em caso de terremoto – inglês
  3. Kits de emergência
  4. Plano de emergência familiar
  5. Site da Onemi: http://www.onemi.cl/
  6. Site do Centro Sismológico Nacional (CSN) para consultar tremores no Chile em tempo real: http://www.sismologia.cl/
  7. Site do Consulado Geral do Brasil em Santiago: http://cgsantiago.itamaraty.gov.br/pt-br/

Deixe sua dúvida ou comentário!