5 características das casas do Chile

Ao viajar para outros países é muito comum encontrarmos características diferentes daquelas com as quais já estamos habituados em nosso país de residência. Isso acontece na cultura, na comida, na natureza, nas leis e, até mesmo, nas casas e apartamentos.

Para não ser pego de surpresa em sua acomodação aqui no Chile, se liga nessas cinco diferenças.

1. Sem ralo, para onde vai a água?

No Chile, não é comum ter ralo nos cômodos da casa (inclusive nos banheiros). Aquela faxina, de lavar o chão, que fazemos no Brasil, não dá para fazer. A limpeza é na base do esfregão (mop). A vantagem: provavelmente o consumo e o desperdício de água será menor.

Também é raríssimo encontrar rodo por aqui (se não pode jogar água, o rodo acaba sendo um utensílio dispensável, certo? Não acho!). Confesso que não consigo viver sem um. Trouxe os meus do Brasil e, depois de limpar o chão no esfregão, seco tudo com um pano limpo preso no rodo.

2. Se esquecer a chave dentro de casa, terá de chamar o chaveiro

Por fora, só é possível abrir as portas de entrada da casa com a chave, mesmo que não esteja trancada. Então, gruda nessa chave ao sair, caso contrário, se a porta bater atrás de você e não tiver ninguém lá dentro, lascou. Só um chaveiro para te deixar entrar, e são bem caros! A gente já deixou um bom dinheiro na mão deles até nos acostumarmos a pegar a chave e colocar na fechadura do lado de fora antes de sair para qualquer coisa, como pegar a correspondência, tirar o lixo… Do ponto de vista de segurança, acho bom!

3. O tão sonhado banho de banheira… será?!

O padrão dos banheiros é com banheira e cortina. São raros os casos com box. A cortina é dupla para que a parte de plástico fique para dentro da banheira e a parte de tecido para fora. Assim, evita molhar tudo, o que seria um perrengue, já que os banheiros não têm ralo, lembram? Particularmente, não gosto muito dessa característica. Há um risco maior de escorregar, a cortina gruda no corpo durante o banho e acho mais difícil de manter higienizado.

4. “Lava roupa todo dia, que alegria…”

Lavar roupa é chato pra caramba! Imagine sem tanque… São poucas as casas que têm tanque aqui no Chile. O padrão é sem. Me considero uma privilegiada nesse quesito, pois nossa casa tem tanque… ahhhh e como ele é útil! Alguns brasileiros que moram aqui e não se adaptaram à essa característica, já me confessaram que às vezes lavam coisas na banheira!

5. Inverno aquecido e verão escaldante

Os invernos chilenos costumam ser rigorosos, então, a maioria das casas conta com aquecimento ou aquecedor, garantindo um lugarzinho bem aconchegante para quando você voltar da rua. Apenas chamo a atenção aos aquecedores a gás ou parafina. Ao usá-los é recomendável deixar sempre uma fresta aberta da janela para evitar algum tipo de intoxicação. O vazamento, no caso dos aquecedores a gás, pode ser identificado com um aparelhinho simples de detecção de monóxido de carbono.

Já no verão, prepare-se para encarar altas temperatura sem a ajuda de um ar-condicionado. O país é muito mais preparado para as baixas temperaturas do que para as altas, já que na maior parte do ano faz frio. Tem ar-condicionado, mas não é tão comum como no Brasil.

Além disso…

Acho importante também fazer uma rápida menção ao fato da voltagem no Chile ser 220V, já que no Brasil, muitas cidades são 110V. Então, se for trazer algum aparato que precisa de energia, verifique se é 220V ou bivolt.

E outra coisa, que não saberia explicar em detalhes técnicos, mas que vale mencionar, é que por ser um país sísmico, as construções do Chile são totalmente adaptadas para resistir a fortes chacoalhões de terra.

Leia o post O que fazer em caso de terremoto para saber mais sobre o tema.

Deixe sua dúvida ou comentário!